Cuesta e Dourado podem deixar o Inter


Ainda que o Inter tenha evitado polemizar o discurso contundente de Taison após a eliminação no Gauchão, existe, sim, um descontentamento no vestiário de Alexander Medina com a postura de alguns jogadores. O departamento de futebol tenta agir nos bastidores para negociar atletas em fim de ciclo e considerados sem a mesma entrega do restante do grupo.


Há um alerta para impedir que a zona de conforto se instaure no Beira-Rio. A direção trabalha para que o elenco esteja focado em evoluir e atingir os objetivos estipulados para o restante do ano, com disputa da Copa Sul-Americana e Brasileirão.


O processo de reformulação tomará corpo nos próximos dias para aproveitar o período sem jogos. Rodrigo Dourado, que não atua desde a derrota por 2 a 0 para o Globo, em 3 de março, e Víctor Cuesta, preterido no último Gre-Nal para a entrada de Bruno Méndez, não tem a permanência assegurada. Edenilson é um caso à parte.


Dourado, de 27 anos, tem vínculo até dezembro deste ano. Uma nova prorrogação de contrato está descartada.


Em 1º de julho, o meio-campista estará liberado para assinar pré-contrato com qualquer equipe. A estadia no Beira-Rio pode ser abreviada. O objetivo é negociá-lo, mas o alto salário vira um entrave. Não há interessados no momento. A última oferta que chegou foi do Damac, da Arábia Saudita, rejeitada pelo atleta.


Cuesta e Edenilson


No início da temporada, Cuesta renovou até 2023 para proteger o clube de uma eventual assinatura de pré-contrato. Todavia, o Inter procura alternativas para envolver o argentino de 33 anos em alguma transação. O defensor é titular da zaga desde 2017, mas tem sido perseguido por parte da torcida.


Edenilson enfrenta cenário diferente. O camisa 8, além de gozar de prestígio com Medina, é considerado o principal ativo do clube após a venda de Yuri Alberto. A direção acredita que pode fazer um bom negócio em caso de proposta.


O Atlético-MG segue no páreo. O Inter aguarda um movimento e, caso surja uma oferta vantajosa, irá discuti-la. As conversas podem envolver dinheiro ou troca de jogadores.


O caso Palacios


Carlos Palacios é um dos casos citados nos bastidores. Após se recuperar de desconforto muscular na coxa direita, sentido antes da viagem para o jogo da última rodada da primeira fase do Gauchão, contra o Guarany, em Bagé, o chileno encontra dificuldades para entrar em forma e atingir os níveis mínimos de intensidade exigidos pela comissão técnica. O jogador está insatisfeito em Porto Alegre.


O prazo para buscar reforços e negociar jogadores expira em 12 de abril. O Colorado tenta superar a falta do executivo, posto vago desde a demissão de Paulo Bracks.


A direção também mira preencher as lacunas na principal pasta do clube. Paulo Autuori, que se desligou do Goiás, está perto de ser anunciado como coordenador técnico. A função foi uma das promessas de campanha de Barcellos, jamais ocupada.


O Inter volta a treinar na manhã desta sexta-feira no CT do Parque Gigante. No início da tarde, conhecerá os adversários na fase de grupos da Copa Sul-Americana, em sorteio a ser realizado na sede da Conmebol, no Paraguai.


O Campeonato Brasileiro começa no fim de semana do dia 9 de abril para os colorados. O adversário será o Atlético-MG, no Mineirão, ainda sem dia e horário confirmados.



FONTE: ge.globo

FOTO: Tomás Hammes

117 visualizações
Whatsapp-Icon-PNG-300x300.png