Caso Lyan: Juiz decreta prisão de tia suspeita de provocar a morte


O juiz Rômulo Vinícius Finato, da Vara Única da comarca de Ponte Serrada, , decretou na quinta-feira (10) a prisão temporária, por 30 dias, de uma mulher, de 32 anos, suspeita de provocar a morte do seu sobrinho, Lyan de Oliveira, de apenas dois anos. O magistrado atendeu à solicitação da Polícia Civil e a prisão da acusada ocorreu horas depois, na casa de sua mãe, em Videira.


Em entrevista coletiva concedida na tarde desta sexta-feira (11), o delegado Marcelo Teske, responsável pelo caso, informou que a prisão foi solicitada em virtude de a tia estar na residência no momento do óbito e apresentar distintas versões sobre o ocorrido. Quando pediu ajuda à vizinha, a suspeita contou que o menino caiu. No hospital, falou que encontrou a criança agonizante na cama. Quando ouvida pela polícia, disse que a televisão caiu em cima do menino. No entanto, as lesões verificadas no corpo da criança eram incompatíveis com quedas.


Teske também destacou a existência de vários registros anteriores de maus tratos contra a criança, verificados junto ao Conselho Tutelar. Porém, sem lesões graves. A vítima e outros cinco irmãos moram com os tios e a avó há três meses. O casal também tem dois filhos. A mãe trabalha em Brusque. Não há informações sobre o pai do menino.


A criança foi levada ao hospital do município, por uma vizinha, na noite do último sábado (5). De acordo com testemunhas, o menino estava sem roupas, desacordado, com sangramento nasal e com várias lesões pelo corpo. O processo tramita em segredo de justiça.


Fonte/foto:ClicRDC

478 visualizações
Whatsapp-Icon-PNG-300x300.png