APAE de São Carlos celebra 30 anos de Educação Especial


No dia 15 de junho de 1988 foi fundada oficialmente a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE de São Carlos - Santa Catarina.




Sempre objetivando lutar em defesa da Pessoa com Deficiência, resgatando cada vez mais as suas potencialidades e principalmente a sua cidadania, proporcionando o acesso e a garantia dos direitos fundamentais, fundou a Escola Especial Professora Márcia, para atendimento de pessoas com Deficiências Intelectual e/ou Múltiplas, Transtorno do Espectro Autista e Atraso Global do Desenvolvimento, no dia 12 de maio de 1992, a nomenclatura mudou para Centro de Atendimento Educacional Especializado – CAESP - no dia 18/02/2020, foi aprovado, através do Parecer CEE/SC Nº 104, o funcionamento do qual é mantenedora.


Atuando na defesa, efetivação e construção de novos direitos as APAES, promovem as pessoas, o enfrentamento das desigualdades sociais, e propõem políticas públicas para o atendimento em todo o seu ciclo de vida, crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, visando assegurar-lhes o pleno exercício da cidadania. Ao longo dos anos, evidenciam-se caminhadas importantes na luta pela eliminação de barreiras ainda não superadas.


No cotidiano da sociedade, são revelados fatos que justificam a inesgotável necessidade de serem acionadas medidas, em busca da aceitação, participação, compreensão e do respeito, a fim de evitar interpretações indevidas e que a diferença seja confundida com desigualdade.


A APAE, no que diz respeito a educação especial, é composta por pessoas comprometidas com melhoria da qualidade de vida da pessoa com deficiência. Compreendendo que a aprendizagem ocorre através de uma interação dialética, que se dá desde o nascimento entre o ser humano, meio social e cultural em que se insere; buscou-se desenvolver também um trabalho pedagógico com estes alunos e sua inclusão na sociedade em que vivem.


A Diretora da APAE, Jucélia Bach falou ao Jornal do Meio Dia sobre a data e a programação diferenciada em andamento nesta quarta-feira (12), através de circulação com o micro-ônibus da Escola Especial, integrando alguns alunos por ruas da cidade.


Hoje a APAE desenvolve trabalhos pedagógicos, trabalhos de socialização, e procuramos desenvolver habilidades de acordo com a capacidade dos nossos alunos para o exercício de funções profissionais.


Diante disso, houve uma mudança de toda comunidade, avanço em relação ao papel da pessoa com deficiência na sociedade. Muitos foram inseridos no ensino regular paralelamente ao atendimento da APAE, outros passaram a frequentar somente a escola regular.


A APAE, como um todo, se empenha na política de inclusão por acreditar que as pessoas com deficiência têm o direito de atingir a plenitude de sua cidadania. Proporcionar atendimento de habilitação e reabilitação à pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla promovendo seu desenvolvimento biopsicossocial e profissional, facilitando sua inclusão junto à família e sociedade, para o exercício pleno de sua cidadania.


A reportagem da Tropical FM esteve no espaço nesta manhã e registrou algumas imagens de atividades desempenhadas.



Fonte/fotos: APAE/São Carlos-Taís Bressan/Tropical FM

37 visualizações
Whatsapp-Icon-PNG-300x300.png